2558

Prefeitura Municipal de Sítio do Quinto

Pular para o conteúdo

Em café da manhã e roda de conversa, CREAS esclarece dúvidas e discute sobre a Violência contra a mulher.

19/11/2019 às 15h25

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


Durante a descontraída roda de conversa, o público presente pôde debater os vários tipos de violências contra a mulher e o que caracteriza cada tipo. Além disso, houveram esclarecimentos sobre a Lei Maria da Penha e sobre os serviços de apoio à mulher em situação de abuso e de violência doméstica; feminicídio e a sua causa. As atividades aconteceram por meio de reflexões e levantamento de perguntas, usando alguns exemplos de casos reais e relatos de vida de mulheres. Além disso, foram distribuídos encartes informativos a respeito do assunto e da atuação do CREAS no município.

De acordo com o CREAS, a discussão sobre o tema é importante para dar visibilidade às formas de violência que as mulheres sofrem, provocando mudanças no pensar e no agir dos que praticam e toleram e, sobretudo, para mudar a percepção da vítima sobre a sua própria condição. A proveitosa discussão que levantou participação intensa dos convidados foi importante também para fortalecer e encorajar não apenas as mulheres, mas toda a sociedade a realizar a denúncia contra os agressores.

Entende-se como violência contra a mulher “qualquer ação ou omissão baseada no gênero, que cause morte, dano ou sofrimento físico, sexual, psicológico à mulher, tanto na esfera pública, como na esfera privada.” Ainda de acordo com o CREAS, a violência contra a mulher se caracteriza ainda como uma manifestação de relações de poder historicamente desiguais entre homens e mulheres, que conduziram à dominação e à discriminação contra as mulheres pelos homens e impedem o pleno avanço das mulheres. O CREAS é um dos órgãos em que se pode realizar a denúncia de violência, mas todos os parceiros estão ativos para ouvir os casos, como Assistência Social, CRAS, Polícia Civil e Militar. Se você está sendo violentada ou conhece alguém vítima de violência contra à mulher, se dirija aos órgãos competentes ou ligue para o número 180. A denúncia pode ser feita anonimamente e o melhor, pode salvar vidas.